fbpx
ACESSO RESULTADOS:

 

De olho na Anemia Infecciosa Equina

A Anemia Infecciosa Equina (AIE), é uma doença grave e – o pior – silenciosa! Fazer exames é a  única maneira de saber se o animal está sofrendo desta enfermidade.

Apenas exame de diagnóstico precoce e feitos com rapidez para AIE podem literalmente salvar a vida dos cavalos, pois pacientes positivos devem ser isolados imediatamente dos outros cavalos da propriedade.  Este exame também é obrigatório para o trânsito dos equídeos e para a entrada em eventos de concentração.

A doença já  é encontrada em todo o território nacional, não tem tratamento nem vacina, portanto o controle dos animais positivos é feito pelo isolamento e sacrifício desses equinos.

O teste utilizado pelo VP laboratório para esse diagnóstico é  a imunodifusão em gel de Agar (IDGA) e já estamos em processo de extensão para a  técnica de ELISA, o que dará maior agilidade ao exame que será liberado em apenas 1 dia para os pacientes negativos.

O Ministério da Agricultura, Pecuária e do Abastecimento (MAPA) preconiza o sacrifício e interdição da propriedade, quando for detectado foco positivo de AIE.

A Anemia Infecciosa Equina é uma doença viral crônica que é causada por um vírus, limitada a equinos, asininos e muares. A principal característica são episódios periódicos de febre, anemia, depressão, edema e perda de peso.

A AIE gera embargos ao trânsito de equídeos, além de interferir nos eventos esportivos equestres, assumindo assim uma relevância econômica considerável. O agente é transmitido primariamente por picadas de moscas dos estábulos e outras hematófagas (que se alimentam de sangue) sendo estes apenas vetores mecânicos. Os principais reservatórios da enfermidade são os portadores inaparentes do vírus, principalmente em tropas que não sofrem monitoramento sorológico periódico.

 

Comentários Facebook